Deputada Margarida repudia a tentativa de criminalizar dirigentes sindicais da educação

07/11/2014 04:41

Tamanho da fonte

Deputada Margarida repudia a tentativa de criminalizar dirigentes sindicais da educação

A deputada federal Margarida Salomão (PT), em seu pronunciamento desta quinta (06), repudiou a atitude da coligação derrotada nas eleições presidenciais de processar os dirigentes do Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais (SindUTE-MG). “Eu repudio que a disputa política tenha um efeito cerceador e criminalizante do direito à expressão política, do direito à expressão de opinião, do direito ao exercício do mandato sindical” – declarou.
Margarida manifestou apoio e solidariedade, especialmente, à Beatriz Cerqueira, que além de ser presidente do sindicato dos educadores, também está à frente da Central Única dos Trabalhadores de Minas Gerais (CUT-MG). A sindicalista e outros companheiros estão sendo processados junto ao Tribunal Superior Eleitoral, com pedido de suspensão dos seus direitos políticos por oito anos, em decorrência da campanha de esclarecimento que o Sind-UTE MG fez sobre a realidade da educação pública mineira.
Segundo a deputada, a dirigente sindical está sendo processada por ter feito, no exercício de sua liderança sindical, várias denúncias, mas que são situações verdadeiras que tiveram impacto no insucesso do candidato Aécio Neves, ex-governador do estado.

A deputada federal Margarida Salomão (PT), em seu pronunciamento desta quinta (06), repudiou a atitude da coligação derrotada nas eleições presidenciais de processar os dirigentes do Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais (SindUTE-MG). “Eu repudio que a disputa política tenha um efeito cerceador e criminalizante do direito à expressão política, do direito à expressão de opinião, do direito ao exercício do mandato sindical” – declarou.

Margarida manifestou apoio e solidariedade, especialmente, à Beatriz Cerqueira, que além de ser presidente do sindicato dos educadores, também está à frente da Central Única dos Trabalhadores de Minas Gerais (CUT-MG). A sindicalista e outros companheiros estão sendo processados junto ao Tribunal Superior Eleitoral, com pedido de suspensão dos seus direitos políticos por oito anos, em decorrência da campanha de esclarecimento que o Sind-UTE MG fez sobre a realidade da educação pública mineira.

Segundo a deputada, a dirigente sindical está sendo processada por ter feito, no exercício de sua liderança sindical, várias denúncias, mas que são situações verdadeiras que tiveram impacto no insucesso do candidato Aécio Neves, ex-governador do estado.

Você pode ouvir a íntegra do pronunciamento da deputada no seguinte link

Compartilhe:

  • Facebook
  • Share on Twitter